quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

CNSG - 2º ano

ATIVIDADE


1- Não era objetivo das Corporações de Ofício medievais:
a) regulamentar preços, salários, qualidade da matéria-prima e da produção.
b) ter preocupações caridosas e econômicas envolvendo seus membros.
c) proibir a prática do comércio a varejo aos estrangeiros, reservando esse direito aos cidadãos.
d) incentivar a economia através da ampliação das técnicas de produção e acesso livre aos meios de produção.
e) evitar o excesso de produção, estipulando normas e processos de trabalho.

2-A peste negra, que dizimou cerca de um terço da população europeia, as revoltas camponesas ocasionadas pelo precário equilíbrio da produção agrícola, e a Guerra dos Cem Anos, entre França e Inglaterra, foram responsáveis:
a) pela formação da sociedade feudo-clerical.
b) pela crise do mercantilismo econômico.
c) pelo fortalecimento da nobreza em detrimento do poder real.
d) pela aceleração da crise do absolutismo.
e) pela crise do feudalismo e consolidação do poder real.

3-"... do século XII ao século XIV, um certo número de cidades da Itália ou das margens do mar do Norte conseguiram tornar-se quase independentes: esta situação, rara, foi também muito transitória e deve analisar-se mais como fases de crescimento que como situação estável (...) De fato, não poderia haver integração econômica completa do sistema feudal: essa integração supunha um domínio dos negociantes, que era contraditório com as bases do sistema." (Alain Guerreau, O FEUDALISMO - UM HORIZONTE TEÓRICO.) Por que razão o "domínio dos negociantes" estava em contradição "com as bases do sistema" feudal?

4- As Cruzadas não conseguiram atingir o seu objetivo, mas tiveram consequências variadas e importantes, exceto:
a) intensificação das relações comerciais com o Oriente, fazendo progredir extraordinariamente as repúblicas italianas.
b) fortalecimento do feudalismo
c) fortalecimento do poder real, especialmente na França e na Inglaterra, onde os soberanos se colocaram à frente das expedições.
d) desenvolvimento do regime comunal
e) afluxo de produtos orientais na Europa

5-"Nas mesquitas, homens e mulheres ficavam separados por uma cortina (...) no espaço doméstico essa separação persistia (...). Como espaço específico de mulheres e crianças, o harém constituía o centro da vida familiar dos ricos. Essas famílias possuíam um eunuco, isto é, um homem castrado ao qual era confiada a guarda do harém e das crianças(...). Contudo, havia exceções." (DREGUER, Ricardo e TOLEDO, Eliete. História: Cotidiano e Mentalidades. São Paulo: Atual, 1995. pp. 23-23) Evocando cenas cotidianas da cultura islâmica, o texto anterior:
a) explicita a desigualdade social entre homens e mulheres, reservando a essas um lugar de segunda categoria.
b) enfatiza o status social privilegiado da mulher, a quem era dispensado um cuidado especial através do eunuco.
c) mostra a existência da poliandra como traço marcante da sociedade retratada no texto.
d) destaca aspectos da vida reservada às mulheres pobres.

6-"Descentralização política e administrativa, unidades de produção autônomas e autossuficientes e mão-de-obra servil", são características:
a) do regime feudal.
b) do sistema capitalista.
c) do socialismo.
d) do escravismo antigo.
e) da dominação colonial no Brasil.

7-Sobre as Cruzadas podemos afirmar que: I. Foram movimentos de cunho religioso que ocorreram na Idade Média e visavam reconquistar a Terra Santa para os católicos. II. Movidos unicamente pela fé religiosa, apenas nobre europeia participaram das Cruzadas. III. A reconquista da península ibérica pode ser entendida dentro do contexto mental das Cruzadas.
a) I e III estão corretas.
b) I, II e III estão corretas.
c) I e II estão corretas.
d) II e III estão corretas.
e) Apenas III está correta.

8-"Entre os movimentos mais conhecidos da Idade Média estão as Cruzadas, que foram originalmente expedições organizadas pela Igreja, contando com o apoio dos dirigentes políticos das principais monarquias feudais". (Marco Antônio de Oliveira Pais) As Cruzadas no Ocidente tinham por objetivo:
a) reconquistar os territórios sagrados do cristianismo na Palestina e reunificar o mundo cristão abalado com o Cisma do Ocidente.
b) libertar do domínio muçulmano o Sacro Império Romano Germânico do Ocidente através da união dos reis, Ricardo Coração de Leão, Felipe Augusto e Frederico Barba Ruiva.
c) expulsar os muçulmanos da Península Ibérica, promover a expansão cristã nas terras eslavas e combater os hereges albigenses na França.
d) libertar as cidades de Gênova e Veneza do domínio islâmico e expulsar os mouros da região de Flandres, reabrindo as rotas comerciais.
e) conquistar Jerusalém, organizar na região o sistema feudal e criar ordens monásticas como a dos Templários e dos Hospitalários.

9-A sociedade feudal era estamental e fragmentada politicamente. O cerimonial a seguir transcrito, representativo do relacionamento estabelecido entre nobres, determinava as condições para a doação dos feudos, colocando até mesmo o rei dentro desse sistema de reciprocidade: "Aos 7 dos idos de Abril, quinta-feira, foram prestadas as homenagens ao conde; o que foi cumprido segundo as formas determinadas para prestação de fé e de fidelidade, segundo a ordem seguinte. Em primeiro lugar, eles fizeram homenagem assim: o conde perguntou ao futuro vassalo se queria tornar-se seu homem sem reserva, e este respondeu: - quero-o ,- depois, com as mãos apertadas entre as do conde, aliaram-se por um beijo. Em segundo lugar, aquele que tinha feito homenagem empenhou a sua fé (...) e, em terceiro lugar, ele jurou isto sobre as relíquias dos santos. Em seguida, com a vara que tinha na mão, o conde deu-lhes investidura (a posse simbólica do feudo), a todos que acabavam de prestar-lhe homenagem, de prometer-lhe fidelidade e de prestar-lhe juramento. " (Gilberto de Bruges, "História da morte de Carlos o Bom, conde de Flandres", in FREITAS, Gustavo de. 900 TEXTOS E DOCUMENTOS DE HISTÓRIA, vol. 4521 I, Lisboa, Plátano.) O cerimonial descrito
a) estabelecia uma rede de lealdades entre os diferentes estratos da sociedade medieval, contribuindo para a centralização monárquica.
b) delimitava direitos e obrigações entre nobreza, clero e povo.
c) estabelecia as condições para o ingresso na categoria de nobres, possibilitando ascensão social.
d) prescrevia as condições de doação dos feudos, estabelecendo uma hierarquização do ponto de vista econômico, contribuindo para o fortalecimento do poder real.
e) estabelecia uma hierarquização do ponto de vista militar, no interior de um sistema de reciprocidade, incluindo obrigações de fidelidade e proteção, no qual constituía a recompensa.

10-"No século VIII a Europa Ocidental assistiu ao estabelecimento do Império Carolíngio, tentativa de renascimento de um poder único e centralizado sobre todos os povos." A respeito do Império Carolíngio referido no texto pode-se afirmar que: I. A dominação política dos francos se deve à conversão destes ao cristianismo antes de outros povos germânicos. II. A organização político-administrativa do Império Carolíngio, sob a liderança de Carlos Magno, conseguiu de forma definitiva, a centralização e a unificação da Cristandade Ocidental. III. A Igreja Católica Apostólica Romana submeteu ao seu poder os príncipes e o próprio Imperador nesse período, ficando o poder temporal submetido aos interesses do poder espiritual. IV. O Tratado de Verdun acentuou o processo de decadência do ideal universal, isto é, de construção de um poder único e centralizado sobre a Europa Ocidental. São verdadeiras SOMENTE as afirmativas
a) I e III
b) I e IV
c) II e IV
d) III e IV
e) I, II e III

11-"(...) A cabeça descoberta, um joelho em terra, sem esporas e sem guantes, e havendo cumprido com todas as formalidades prescritas pelos costumes desta província da Borgonha (...) declarou em voz alta: Senhor Barão e senhor da baronia de Vitrysur-Loire (...) me reconheço vosso vassalo e vos faço fé e homenagem (...) Peço-vos, com todo o respeito que vos é devido, a investidura dos ditos feudos, tanto em propriedade como em usufruto, com oferecimento e comprometimento de ajuda e de préstimos (...) " (R. Boutruche) A condição de vassalo impunha:
a) prestação de serviços não remunerados aos senhores e pagamento de diversos tributos (talha, corvéia, banalidade) em troca da permissão de uso de terra e proteção militar.
b) uma situação na qual, embora inferior, nivelava-se socialmente ao vilão, preso à terra recebida e obrigado a prestar homenagens aos nobres e cavaleiros.
c) a cada família de servos um lote de terra arrendada e a obrigação de prestar serviços militares, proteger as terras e cidades do suserano.
d) auxílio militar, provisionamento de cavaleiros, hospedagem, participação nos tribunais do senhor e garantia do pagamento de resgate em caso de captura do senhor.
e) ausência de juramento de fidelidade e proteção, obrigação de lavrar as terras que recebiam e de prestar ajuda militar aos reis suseranos supremos, que detinham o poder político centralizado.

12-A guerra foi igualmente provocada pelas ambições da França e da Inglaterra sobre Flandres, região economicamente rica pelo seu comércio e por sua produção de tecidos. Extremamente devastadora, agravou a situação de miséria e exploração das classes camponesas, mas também contribuiu para revelar o sentimento nacional. A afirmação acima refere-se à:
a) Guerra do Bouvines.
b) Guerra dos Cem Anos.
c) Guerra das Duas Rosas.
d) Guerra dos Três Henriques.
e) Guerra dos Trinta Anos.

13-No século XIII, um teólogo assim condenava a prática da usura: "O usurário quer adquirir um lucro sem nenhum trabalho e até dormindo, o que vai contra a palavra de Deus que diz: Comerás teu pão com o suor do teu rosto . Assim o usurário não vende a seu devedor nada que lhe pertença, mas apenas o tempo, que pertence a Deus. Disso não deve tirar nenhum proveito." (Adaptado de J. Le Goff, "A Bolsa e a Vida", Brasiliense, 1989)
a) O que é usura?
b) Por que a Igreja medieval condenava a usura?
c) Relacione a prática da usura com o desenvolvimento do capitalismo no final da Idade Média.

14-Sobre a Europa no período medieval, é correto afirmar:
(01) Nas regiões de economia agrícola predominava o trabalho livre, enquanto que a servidão era mais comum nas áreas manufatureiras.
(02) No feudo ou senhorio rural havia comumente três formas de posse da terra: BOSQUES e PASTOS, constituída de áreas de posse coletiva; RESERVA ou MANSO SENHORIAL, de propriedade do senhor; e MANSO SERVIL, formada por terras em regime de co-propriedade (senhor e camponeses).
(04) Com o desenvolvimento do comércio internacional, desapareceu a atividade de artesão e extinguiram-se as corporações de ofício no século XIII.
(08) Os burgos sempre se organizavam fora dos domínios do senhor feudal, e seus habitantes exerciam atividades agrárias que concorriam com as do domínio senhorial. (16) O regime de trabalho servil baseava-se, entre outras, nas obrigações devidas pelo servo de prestar serviços e entregar parte de sua produção ao senhor. Soma ( )



15-A peste, a fome e a guerra constituíram os elementos mais visíveis e terríveis do que se conhece como a crise do século XIV. Como consequência dessa crise, ocorrida na Baixa Idade Média,
a) o movimento de reforma do cristianismo foi interrompido por mais de um século, antes de reaparecer com Lutero e iniciar a modernidade;
b) o campesinato, que estava em vias de conquistar a liberdade, voltou novamente a cair, por mais de um século, na servidão feudal;
c) o processo de centralização e concentração do poder político intensificou-se até se tornar absoluto, no início da modernidade;
d) o feudalismo entrou em colapso no campo, mas manteve sua dominação sobre a economia urbana até o fim do Antigo Regime;
e) entre as classes sociais, a nobreza foi a menos prejudicada pela crise, ao contrário do que ocorreu com a burguesia.



16-Com relação à transição do feudalismo para o capitalismo, iniciada já no século XIII, julgue os itens que se seguem.

(1) O desenvolvimento das atividades mercantis solidificou o localismo político à medida que favoreceu a expansão econômica e social dos cavaleiros.
(2) A ampliação das rotas comerciais acarretou o incremento dos setores produtivos agrícolas e industriais, a intensificação da cunhagem de moedas e o fortalecimento da posição social da burguesia.
(3) A crescente centralização do poder monárquico reduziu a influência política do papado e do direito canônico.
(4) A propriedade da terra, única fonte concreta de rendimentos econômicos, garantiu a permanência de todas as prerrogativas dos nobres.

17-Julgue os itens abaixo, relativos à sociedade medieval.

(1) Após a crise do Império Carolíngio, houve uma reconcentração do poder político nas mãos dos monarcas nacionais.
(2) A insegurança e as dificuldades econômicas levaram muitos homens à servidão e alguns à vassalagem.
(3) As relações entre senhores feudais esgotavam-se no pacto político, pois não implicavam favorecimento socioeconômico.
(4) A homenagem consagrava a celebração do contrato de direitos e deveres entre suseranos e vassalos.


18-Na Baixa Idade Média, iniciaram-se as mudanças na Europa Ocidental que, a seguir, desencadearam o processo de montagem do sistema capitalista. Relativamente a essas mudanças, julgue os itens a seguir.

(1) A atividade mercantil ganhou impulso, a monetarização das trocas fez-se presente e o segmento social burguês foi conquistando espaço social e político.
(2) Nos centros urbanos, as corporações de ofício regulavam a produção manufatureira e o trabalho assalariado foi tornando-se comum.
(3) A despeito da resistência da aristocracia feudal, os monarcas dispuseram-se a enfrentar a parcelarização política então vigente.
(4) A crise do século XIV reforçou os poderes dos senhores feudais, à medida que possibilitou a migração de mão-de-obra das cidades para os campos.



Chegou o dia em que o comércio cresceu, e cresceu tanto que afetou profundamente toda a vida da Idade Média. O século XI viu o comércio andar a passos largos; o século XII viu a Europa ocidental transformar-se em consequência disso. Leo Huberman Assinale a alternativa relacionada ao texto anterior.
a) Os efeitos do renascimento urbano e comercial foram sentidos simultaneamente em todo o território europeu.
b) O modo de produção servil foi imediatamente substituído pelo desenvolvimento de centros industriais e pelo trabalho assalariado.
c) A ampliação de novos mercados e centros urbanos contribuiu para a redução do crescimento demográfico e da migração.
d) A expansão marítima comercial européia, através da aliança dos reis com a burguesia, consolidou as relações mercantis na Ásia, Europa e América.
e) O renascimento comercial trouxe o crescimento das cidades, a expansão do mercado e a ascensão de um novo grupo social.


19-Com relação à existência de um caráter urbano-comercial nas cidades medievais, assinale a alternativa incorreta.
a) Forças externas impulsionaram o comércio e o desenvolvimento das cidades medievais.
b) Dois movimentos contrários, o de abertura e o de fechamento, influíram no processo da economia feudal.
c) O aumento da produtividade, o uso das terras desocupadas e o estímulo para o desenvolvimento do capital.
d) Os senhores passaram a aceitar a libertação dos servos em troca de dinheiro.
e) A nobreza não foi afetada pelas mudanças ocorridas na economia, na sociedade e na política nos fins da Idade Média.

20-"Deixai (seguir viagem rumo ao Oriente) para lutar contra os infiéis, os que outrora combatiam impiedosamente os fiéis em guerras particulares... Deixai (partir) os que são ladrões, para tornarem-se soldados. Deixai (viajar) aqueles que outrora se bateram contra os seus irmãos e parentes, para lutarem contra os bárbaros... Deixai (participar do movimento) os que outrora foram mercenários, muito mal remunerados, para que recebam a recompensa eterna." (Pregação do Papa Urbano II, no Concílio de Clermont-Ferrand, 1095). O texto comprova que o Papado via nas Cruzadas um movimento
a) teocrático desvinculado das demais intenções.
b) político, mas dissociado da intenção de submeter reis e nobres à obediência da Igreja.
c) militar indiferente ao desejo cristão de libertar Jerusalém do fiel muçulmano.
d) comercial alheio ao propósito de resgatar a rota da seda gravemente ameaçada.
e) religioso, mas relacionado com a busca de soluções para a superação de problemas sociais.

21-Sobre o movimento das Cruzadas, em que a Igreja Católica procurou retomar as "terras santas" dos mouros, assinale a opção correta.
a) as Cruzadas ampliaram as possibilidades do comércio europeu na Ásia.
b) as Cruzadas foram financiadas unicamente com recursos da Igreja e não tinham fins comerciais.
c) os senhores feudais que financiavam as Cruzadas eram recompensados unicamente com títulos religiosos.
d) do ponto de vista militar, as Cruzadas obtiveram êxito total contra os mouros, expulsando-os da Europa e da Terra Santa.

22-Em outubro de 1347, navios mercantes genoveses chegaram ao porto de Messina. Os marinheiros doentes tinham estranhas inchações escuras, do tamanho de um ovo ou uma maçã, nas axilas e virilhas, que purgavam pus e sangue e eram acompanhadas de bolhas e manchas negras por todo o corpo. Sentiam muitas dores e morriam rapidamente cinco dias depois dos primeiros sintomas. Um Espelho Distante - O terrível século XIV Cerca de 25 milhões de pessoas morreram entre os anos de 1347 e 1350. Dentre os fatores que contribuíram para esse acontecimento destacamos:
a) a formação do modo de Produção Feudal.
b) a decadência e posterior desaparecimento da dinastia Carolíngia na Europa medieval.
c) o aumento do intercâmbio comercial entre Europa e Oriente após as Cruzadas.
d) o fim da Guerra dos Cem Anos entre a França e a Inglaterra devido à peste negra.
e) a expansão Marítima e Comercial Europeia e a descoberta do novo mundo.

23-A tabela anterior apresenta uma estimativa da população europeia entre os séculos X e XIII, na área que hoje compreende Itália, Alemanha, Holanda, Bélgica, Luxemburgo, Suíça, França, Inglaterra, Espanha e Portugal. Assinale a alternativa que NÃO apresenta elementos relacionados com esse crescimento demográfico.
a) Aperfeiçoamento das técnicas agrícolas, que acabaram aumentando a produtividade.
b) Ampliação do cultivo agrícola com a ocupação de novas áreas de campos e florestas.
c) Diminuição da exploração feudal e arrefecimento das relações servis de produção.
d) Surgimento de novas culturas como as de aveia, ervilha, nabos e rabanetes.
e) Significativo impulso do comércio, com o surgimento de novas rotas comerciais.
http://professor.bio.br/historia/imagens/questoes/4049.jpg

24-"Foi de vital importância o fato de que, a partir do século XII, nobres e burgueses passaram a morar na parte cercada pelas muralhas das cidades. Os interesses e prazeres das duas classes tornaram-se assim semelhantes..." (Jacob Burckhardt, 1860) Sobre esse fenômeno, pode-se afirmar que
a) ocorreu em todos os lugares da Europa onde se desenvolveram cidades, pondo fim à dominação social da nobreza.
b) ocorreram em todas as cidades marítimas, de Lisboa a Hamburgo, passando pela Itália do Norte e Flandres.
c) foi interrompido pela nobreza, a partir da crise do século XIV, depois de ter se desenvolvido na Baixa Idade Média.
d) marcou as mais importantes cidades italianas, constituindo-se num dos fatores sociais do Renascimento.
e) marcou as mais importantes cidades europeias, constituindo-se num dos fatores da criação das Universidades medievais.

25-Na sociedade medieval:
(01) A partir do século X, as universidades constituíram-se como grandes centros de difusão do ensino para as massas populares das cidades.
(02) Os mosteiros e as escolas eclesiásticas das cidades promoviam a formação de quadros eclesiásticos, o que garantiu a supremacia intelectual dos representantes da Igreja nesse período.
(04) As cantigas dos trovadores, nas cortes régias e senhoriais, representaram uma das principais manifestações da cultura medieval laica.
(08) Nos mosteiros, entre os séculos XII e XIII, foi desenvolvida a técnica dos tipos móveis para a impressão de textos. A partir de então, os monges copistas dedicaram-se integralmente ao magistério.
(16) Na baixa Idade Média, as catedrais foram o espaço onde a burguesia e os artesãos passaram a ostentar sua prosperidade, com a oferta de vitrais que apresentavam, simultaneamente, cenas religiosas e os gestos e as ferramentas de seus ofícios.
(32) A fundação progressiva de cidades junto às rotas comerciais marítimas e fluviais levou a uma diversificação entre a cultura urbana e a rural. Soma ( )

26- "Reconheço ter prendido mercadores de Langres que passavam pelo meu domínio. Arrebatei-lhes as mercadorias e guardei-as até o dia em que o bispo de Langres e o abade de Cluny vieram procurar-me para exigir reparações." (CASTELÃO DO SÉCULO XI.) O texto apresentado permite afirmar que, na Idade Média,
a) o poder da Igreja era, além de religioso, também temporal.
b) os senhores feudais eram mais poderosos do que a Igreja.
c) o clero era responsável pela distribuição das mercadorias.
d) o conflito entre Igreja e nobreza aproximou o clero dos comerciantes.
e) o poder do papa era limitado pelos sacerdotes.

27-Sobre o sistema feudal europeu, é INCORRETO afirmar que:
a) o feudo constituía sua unidade básica de produção.
b) a economia era baseada no comércio, devido à alta produção de excedentes agrícolas.
c) neste regime, os servos eram obrigados a prestar serviços gratuitos e ceder a maior parte da produção ao senhor feudais e, em troca, recebiam do senhor feudal proteção militar.
d) as duas principais camadas sociais eram a dos senhores feudais e a dos servos da gleba.
e) cada feudo representava uma unidade politicamente autônoma.

28-Sobre as guerras e revoltas que fortaleceram a formação dos Estados Modernos europeusrelacione as colunas a seguir. 1 ) Portugal 2) Espanha 3) Inglaterra 4) França ( ) Guerra das Duas Rosas ( ) Guerra dos Cem Anos ( ) Guerra da Reconquista ( ) Revolução De Avis A sequência correta é:
a) 1, 4, 2 e 3
b) 3, 4, 1 e 2
c) 3, 4, 2 e 1
d) 2, 1, 4 e 3
e) 1, 4 ,3 e 2

29-Leia, com atenção, o texto abaixo: "No começo do século XI, quando se revela a organização feudal da sociedade, está claro que os detentores do poder de origem pública pretendem assimilar o território de seu distrito a um grande domínio, extorquir de todos os residentes e de todos os possantes, que não são cavaleiros o que extorquem dos não-livres que lhes pertencem, e vêem-se os instrumentos do poder público, quando se aplicam à parte desarmada do povo, dominializar-se." (DUBY, Georges. (Org.). "História da Vida Privada: da Europa Feudal à Renascença". v.2. São Paulo: Companhia das Letras,1990, p.37.) De acordo com o comentário apresentado a respeito da sociedade feudal é correto afirmar que:
a) a vida urbana se consolidou com a organização administrativa dos burgos, extinguindo o prestígio dos proprietários de terras.
b) o aumento do prestígio do clero enfraqueceu o poder dos senhores de terras em toda a Europa.
c) a expansão de grandes domínios pelos senhores feudais propiciou a centralização política monárquica.
d) o surto do crescimento das cidades garantiu a ascensão da burguesia como detentora do poder público.
e) o poderio dos senhores de terras se fortaleceu através da exploração e imposição de taxas aos que se estabeleciam em seus domínios.

30-Entre as múltiplas razões que explicam a sobrevivência do Império Romano no Oriente, até meados do século XV, está a:
a) capacidade política dos bizantinos em manter o controle sobre seu território subordinado a uma Monarquia Despótica e Teocrática;
b) autonomia comercial das Cidades-estados otomanas subordinadas ao Império Romano do Ocidente;
c) essencial ruralização da sociedade para proteger-se de migrações desagregadoras;
d) capacidade do Sultão Maomé II de manter, ao longo de seu governo, a unidade otomana do Império Bizantino;
e) política descentralizada, consequência das migrações gregas e romanas.

31-Há mil anos, em partes da Europa, vigorava o sistema feudal, cujas principais características foram:
a) sociedade hierarquizada, com predomínio de uma economia agrária, que favoreceu intensa troca comercial nos burgos e cidades italianas.
b) fraca concentração urbana, com predomínio da economia agrária sob a organização do Estado monárquico, apoiado pelo clero e pela burguesia.
c) poder do Estado enfraquecido, ritmo de trocas comerciais pouco intenso, uso limitado da economia monetária, predominando uma sociedade agrária.
d) ampliação do poder do Estado, uma sociedade organizada em três camadas - clérigos, guerreiros e trabalhadores - e predomínio da economia rural.
e) intensificação da produção agrícola pelo uso da mão-de-obra de servos e escravos, poder descentralizado e submissão dos burgos ao domínio da Igreja.



32-Dentre as desordens sociais observadas durante a crise do século XIV, destacam-se as insurreições camponesas na França (Jacquerie - 1358) e na Inglaterra (Rebelião de Wat Tyler - 1381). Tais movimentos se encontram associados, EXCETO:
a) ao avanço dos cercamentos expulsando os camponeses.
b) à situação de extrema miséria verificada no campo.
c) ao elevado nível de opressão das obrigações servis.
d) às calamidades naturais ocorridas no período em questão.

33-Segundo Alceu Luiz Pazzinato e Maria Helena Senise: "Ao longo dos séculos X, XI e XII, apesar de o feudalismo permanecer como sistemas dominantes já se veem com clareza, no interior da sociedade medieval, os traços de uma nova ordem". São eventos que comprovam tal afirmação, EXCETO:
a) A renovação das práticas agrícolas e o desenvolvimento de novos instrumentos de trabalho.
b) O surgimento de uma classe trabalhadora proletarizada, fruto da expropriação dos camponeses.
c) A expansão comercial, possibilitada pelo aumento significativo do excedente social gerado.
d) O estabelecimento das comunas, impondo aos senhores feudais restrições aos seus direitos.

34-O crescimento populacional na Europa ocidental, a partir do século XI, implicou dificuldades sociais, devido à
a) mentalidade teocêntrica típica da Idade Média, que condenava o trabalho produtivo.
b) descentralização política feudal, que impedia a livre circulação da mão-de-obra.
c) população exígua das cidades medievais, comprimidas no interior de muralhas.
d) regulamentação das Corporações de Ofício, que proibia a formação de artesãos.
e) baixa produtividade da economia medieval e a sua limitada possibilidade de expansão.

35-O crescimento das cidades é um fenômeno da Europa Ocidental a partir do século XI. Tratando sobre a questão, Pierre Vilar afirma: As cidades dependiam dos senhores. Mas elas foram mais fortes que as aldeias para discutir com seus amos, rebelarem-se, obter ou impor "cartas de franquias". Coletivamente, continuavam vinculadas ao sistema feudal (...). Mas em seu território, e sobretudo no recinto dentro da muralha, os habitantes eram livres e participavam da organização coletiva. VILAR, Pierre. "Do feudalismo ao capitalismo". 4. ed. São Paulo: Contexto, 1992. p. 39. Refletindo sobre essa afirmação, pode-se concluir que
a) os moradores das cidades gozavam de significativa autonomia, mesmo submetidos à autoridade dos senhores, que lhes cobravam taxas.
b) os camponeses das aldeias medievais impuseram aos senhores feudais um documento que garantia autonomia política à comunidade.
c) os habitantes das cidades libertaram-se de inúmeras obrigações, entre elas a de participar das corporações de ofício.
d) as populações urbanas eram isoladas por muralhas que as impediam de estabelecer relações socioeconômicas com o mundo feudal.

36-As transformações econômicas e sociais dos séculos XII e XIII provocaram a chamada "crise de consciência religiosa". Sobre os movimentos heréticos surgidos neste período, assinale a alternativa correta.
a) Na Europa, durante estes séculos, a fé em Deus era um valor inquestionável; portanto, os movimentos heréticos católicos foram contra as práticas religiosas desenvolvidas por seitas rurais.
b) A insatisfação com relação ao comportamento herético dos príncipes católicos, ávidos por mais poder do que o do Papa Bonifácio III, fez com que Felipe, o Belo, rei da França, garantisse a cobrança de impostos junto aos príncipes tidos como heréticos.
c) As ordens mendicantes, consideradas como uma facção religiosa de hereges, foram duramente perseguidas durante o papado de Honório III, no século XIII.
d) Com as invasões de povos germânicos, na Europa, durante a Alta Idade Média, a maioria das bibliotecas foi destruída, restando apenas algumas pertencentes à Igreja Católica, que serviram de base para o surgimento dos movimentos heréticos europeus.
e) As heresias, que provocaram o surgimento de movimentos heréticos, foram doutrinas contrárias aos ensinamentos da Igreja, devido à insatisfação em relação ao comportamento do clero.

37-O desaparecimento da servidão feudal, na Europa Ocidental, na Baixa Idade Média, foi
a) iniciado com o aparecimento de um mercado urbano para a agricultura, que levou à troca da renda trabalho pela renda dinheiro e intensificado com as revoltas camponesas.
b) realizado violenta e inesperadamente durante a peste negra, quando os camponeses aproveitaram-se da situação para se revoltar em massa contra os senhores.
c) proporcionado pela ação conjugada de dois fatores externos ao âmbito dos camponeses, as guerras entre os próprios nobres e destes com as cidades.
d) liderado pacificamente pela Igreja Católica, protetora dos camponeses, e concluído com a ajuda dos reis interessados em arruinar o poder dos senhores feudais.
e) determinado pelo fluxo de dinheiro que os senhores feudais recebiam das cidades em troca da liberação dos camponeses, empregados no sistema de produção em domicílio.

38-Entre os anos de 1315 e 1317, chuvas extremamente fortes e constantes atingiram, de forma inesperada, parte significativa da Europa, ao norte dos Alpes. Pode-se relacionar esse episódio à
a) série de transformações climáticas enfrentadas pela Europa desde o século VIII, que derivaram do uso intenso de materiais poluentes nas fábricas e nas guerras.
b) devastação florestal ocorrida na busca de mais terras cultiváveis para abastecer a população que, em virtude de inovações tecnológicas e do controle temporário das pestes, crescia rapidamente.
c) escassez de recursos de controle de pluviosidade pelos feudos, desestruturados após as revoltas de servos, que se transferiram para as cidades e fizeram ressurgir o comércio entre as várias partes da Europa.
d) religiosidade dos povos locais que conseguiram, com sua fé, obter as chuvas necessárias para o sucesso da produção agrícola e o decorrente aumento na produção de alimentos.
e) inexistência de alternativas de irrigação de áreas agriculturáveis, o que forçava os senhores de terras a recorrer exclusivamente às chuvas para manter suas plantações vivas.

39-A prosperidade das cidades medievais (séculos XII a XIV), com seus mercadores e artesãos, suas universidades e catedrais, foi possível graças
a) à diminuição do poder político dos senhores feudais sobre as comunidades camponesas que passaram a ser protegidas pela Igreja.
b) à união que se estabeleceu entre o feudalismo, que dominava a vida rural, e o capitalismo, que dominava a vida urbana.
c) à subordinação econômica, com relação aos camponeses, e política, com relação aos senhores feudais.
d) ao aumento da produção agrícola feudal, decorrente tanto da incorporação de novas terras quanto de novas técnicas.
e) à existência de um poder centralizado que obrigava o campo a abastecer prioritariamente os setores urbanos.

40-No período denominado Baixa Idade Média, houve desenvolvimento do comércio e florescimento de cidades. O crescimento econômico da Europa ocidental intensificou-se com a expansão ultramarina do século XV. Considera-se essencial para tal expansão:
a) a crise e o enfraquecimento comercial das cidades-estados italianas, fornecedoras na Europa dos produtos orientais.
b) a centralização do poder político e a possibilidade de investimento de recursos monetários estatais em expedições marítimas.
c) a ocupação de Constantinopla pelos turcos otomanos e o fim dos contatos pacíficos entre o Ocidente e o Oriente.
d) a abundância de metais na Europa e o crescimento de circulação monetária em condições de financiar empreendimentos dispendiosos.
e) a ruptura da unidade cristã do Ocidente e a formação de religiões cristãs adaptadas à ética da acumulação capitalista.

41-Um dos obstáculos ao desenvolvimento da economia monetária na Europa medieval, a partir do século XII, foi representado.
a) pela formação de monarquias nacionais e o estabelecimento de tributos estatais onerosos ao comércio.
b) pelo caráter religioso e antieconômico do movimento de expansão territorial, conhecido como cruzada.
c) pela regulamentação da Igreja em matéria econômica, condenando, por exemplo, o empréstimo a juros.
d) pela assimilação, pela burguesia mercantil, de costumes econômicos dispendiosos, particulares à nobreza feudal.
e) pela concentração de parte da população ativa nos mosteiros, dedicando-se a uma economia autossuficiente.

42-A crise do sistema feudal agravou-se no século XIV com o início da Guerra dos Cem Anos entre França e Inglaterra (1337-1453). Eduardo III, rei dos ingleses, invadiu a França, declarando-se rei. A respeito desse período, é correto afirmar que:
a) eclodiram, na França, revoltas de camponeses, famintos e insatisfeitos com a superexploração, conhecidas pelo nome de "Jacqueries", em alusão a Jacques Bonhomme, expressão que os nobres usavam para designar o homem do campo.
b) a vitória dos ingleses sobre os exércitos de Joana D Arc, filha de humildes camponeses, nas batalhas de Orleans, Reims, Paris, Toulouse e Compiégne, acabaram por definir a sorte da guerra a seu favor, apesar da mítica religiosidade católica dos franceses.
c) após a vitória, a França mergulhou em um novo conflito, a Guerra das Duas Rosas, uma disputa pelo trono motivada pelos interesses monárquicos da família Lancaster, que acabou sendo derrotada por Luís IX, em Toulouse.
d) as transformações no modo de exploração feudal acabaram por beneficiar a nobreza francesa, que permaneceu neutra durante o conflito, enquanto o rei era obrigado a se aliar à burguesia para conseguir recursos para armar seu exército.
e) ocorreu a morte de inúmeros camponeses ingleses em virtude da brutal retaliação dos franceses, que, depois de expulsarem os ingleses de suas terras, passaram a ocupar e explorar os territórios dos anglo-saxões.
43- Na Europa, nos séculos XIV e XV, eclodiu e aprofundou-se uma crise geral da sociedade feudal. São características do período em questão, EXCETO:
a) o recrudescimento das obrigações feudais, aumentando o nível de tensão entre senhores e servos.
b) a Peste Negra, que reduziu a população europeia em um terço e deixou várias aldeias despovoadas.
c) as revoltas camponesas, que explodiram com enorme violência em toda a Europa.
d) o movimento da Reforma iniciado por Lutero, afirmando o poder da Igreja Católica.
e) a Guerra dos Cem Anos, promovendo inquietação e desordens na França e Inglaterra.

1 comentários:

CANALOITISETI disse...

Põe o gabarito demonho!

Postar um comentário